O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista. Caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao(à) editor(a)".
  • Os(As) autores(as) estão cientes e concordam que os conteúdos veiculados nos textos são de sua responsabilidade, não coincidindo, necessariamente, com o ponto de vista de editores(as) ou do Conselho Editorial da revista.
  • Todos as pessoas indicadas como autores(as) no manuscrito deram contribuição intelectual relevante à pesquisa e ao texto a ser submetido à revista, estando de pleno acordo quanto à referida submissão.
  • Foram seguidas diretrizes éticas e de integridade em pesquisa durante a execução do trabalho e a escrita do texto, a exemplo daquelas sugeridas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, nas diretrizes para integridade em pesquisa científica.
  • A carta de apresentação do manuscrito enviada ao(à) editor(a)-chefe da revista no momento da submissão informa claramente quaisquer fontes potenciais de conflito de interesse, sejam no âmbito financeiro ou de outra natureza. Isto inclui, mas não se limita a: propriedade de patentes ou ações, participação em conselhos de administração, conselhos consultivos ou comitês de empresas, atuação em consultorias, assessorias ou recebimento de honorários de empresas, dentre outros.
  • Os(As) autores(as) conhecem e concordam com as normas que regem o processo editorial do periódico.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista.

Diretrizes para Autores

Recomendamos fortemente que as(os) autoras(es) façam um checklist, a fim de garantir que o manuscrito a ser submetido à revista atende rigorosamente a todas as orientações abaixo. Originais que não estejam em conformidade com essas instruções serão devolvidos às(aos) autoras(es).

Paubrasilia aceita prioritariamente artigos científicos originais e inéditos que se enquadrem em uma das seguintes áreas: coleções botânicas, conservação vegetal, divulgação científica em botânica, etnobotânica, botânica econômica, ensino de botânica, educação ambiental em botânica, biogeografia vegetal, sistemática vegetal, biologia reprodutiva de plantas, ecologia vegetal, botânica estrutural, palinologia, paleobotânica, fisiologia vegetal, biotecnologia vegetal, ficologia e micologia.

Adicionalmente, o corpo editorial pode aceitar notas taxonômicas, registros de ocorrência, checklists, revisões bibliográficas e relatos de experiência afins ao escopo do periódico.

Os manuscritos devem ser escritos em inglês, português ou espanhol, devendo ter qualidade gramatical suficiente para ser aceito. O uso de um serviço especializado de edição de idioma, embora desejável, não é um requisito para submissão e não implica ou garante que o artigo será selecionado para revisão por pares ou aceito para publicação.

O arquivo principal do manuscrito deve ser enviado com texto digitado em Word for Windows, Libre Office ou softwares compatíveis, em formato “.doc” ou “.docx”, com fonte Times New Roman, tamanho 12, espaço 2.0 pt, alinhado justificado, deslocamento de 1,5 cm para primeira linha do parágrafo. O tamanho do papel é A4 (210 x 297 mm) e as margens devem ser configuradas em 3 cm para as margens superior e esquerda e 2 cm para as margens inferior e direita.

A seguinte ordem deve ser adotada para os itens que compõem o arquivo principal do trabalho: (1) Folha de rosto. (2) Resumo. (3) Texto do manuscrito. (4) Agradecimentos. (5) Referências. (6) Tabelas. (7) Legendas das figuras. (8) Figuras. Cada item deve iniciar em página independente no arquivo, sendo 4, 6, 7 e 8 opcionais.

(1) A folha de rosto deve apresentar, sequencialmente:

    • título completo do trabalho em português, inglês, espanhol e francês, com inicial maiúscula apenas na primeira palavra e em substantivos próprios.

Exemplo: Anatomia foliar de espécies de Inga Mill. (Fabaceae)
Leaf anatomy of Inga Mill. species (Fabaceae)
Anatomía foliar de especies de Inga Mill. (Fabaceae)
 Anatomie des feuilles des espèces de Inga Mill. (Fabaceae)
    • nome dos(as) autores(as), com sobrenomes intermediários abreviados, seguidos por números sobrescritos relativos às afiliações institucionais.
Exemplo: Sara O. Lins¹, Jonas A. Mendes¹ & Ana Maria C. Baía²
    • afiliação institucional de cada autor(a), na seguinte ordem: programa, unidade ou órgão equivalente (por extenso), universidade ou equivalente (por extenso), cidade, estado (por extenso), país.
Exemplo: ¹Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais, Universidade Federal do Sul da Bahia, Porto Seguro, Bahia, Brasil
²Centro de Formação Interdisciplinar, Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, Pará, Brasil
    • Número ORCID (Open Researcher and Contributor ID) de cada autor(a) do manuscrito. Aqueles(as) que ainda não o possuem devem cadastrar-se na homepage do ORCID.
Exemplo: ORCID: 0000-0000-0000-0000 (Sara Lins), 0000-0000-0000-0000 (Jonas Mendes), 0000-0000-0000-0000 (Ana Baía)
    • nome e e-mail do(a) autor(a) para correspondência. Exemplo:
Autor/a para correspondência: Sara O. Lins, sara.lins@ufsb.edu.br 
    • Palavras-chave: informar 3 a 10 palavras-chave, em português, inglês, espanhol e francês, que reflitam da melhor maneira possível o conteúdo do artigo, facilitando a pesquisa temática pelo trabalho, desde que não repitam palavras que já constam no título do manuscrito.
Exemplo: Flora do Brasil. Morfoanatomia foliar. Esclereídes.
The Brazil Flora. Leaf morphoanatomy. Sclereids.
Flora del Brasil. Morfoanatomía foliar. Esclereidas.
Flore du Brésil. Morpho-anatomie des feuilles. Scléréids.

(2) A segunda página do manuscrito deve conter o Resumo do manuscrito, breve e informativo, redigido em até 150 palavras, destacando especialmente o objetivo central, os principais resultados e a conclusão do trabalho. O resumo deve ser apresentado em português, inglês, espanhol e francês.

(3) O texto do manuscrito propriamente dito deve ser apresentado em seções (ex.: IntroduçãoMétodoResultadosDiscussãoConclusão). Variações no nome destas seções podem ser aplicadas, desde que obedeçam à sequência lógica na escrita. Trabalhos que incluam coleta/tratamento de material vegetal, inclusive algas e fungos, necessariamente devem informar, ao fim da seção de Método, o Material Examinado depositado em herbário. Os Agradecimentos, quando houver, e as Referências citadas no trabalho devem figurar em folhas independentes, após a conclusão do texto.

Os nomes científicos de táxons nos níveis de gênero ou infragenéricos devem estar em itálico (inclusive nas referências). Nomes de gêneros devem aparecer por extenso quando forem mencionados pela primeira vez em cada parágrafo ou sempre que sua abreviação gerar confusão e nunca devem ser abreviados no início de frases. A primeira citação de uma espécie animal deve ser seguida da autoria e do ano de publicação, separados por vírgula. Para plantas e fungos, nomes de táxons até o nível de gênero devem vir acompanhados da autoria quando forem citados no texto pela primeira vez, seguindo a abreviação utilizada no catálogo de Autores de Nomes de Plantas (Brummitt RK, Powell CE. Authors of plant names. 2.ed. Kew: Royal Botanic Gardens; 2004.) ou o The International Plant Names Index.

Em notas e tratamentos taxonômicos, os nomes corretos devem estar em negrito no cabeçalho do táxon. Sinônimos, quando indicados, devem estar agrupados e organizados em ordem crescente de data de publicação; os homotípicos no mesmo parágrafo, os heterotípicos em parágrafos distintos. Nos protólogos de plantas e fungos, os periódicos devem estar abreviados conforme o BPH Online, do Hunt Institute for Botanical Documentation, e os livros conforme o TL2 (Stafleu FA, Cowan RS. Taxonomic literature: a selective guide to botanical publications and collections with dates, commentaries and types. 2nd.ed. Utrecht: Bohn, Scheltema & Holkema; 1976-1988.) e suplementos posteriores, porém, sempre com as iniciais dos nomes do título em maiúsculas. Essas abreviações podem ser consultadas no índice de publicações botânicas (Index of Botanical Publications) da Universidade de Harvard.

O Material Examinado deve seguir o seguinte exemplo:

BRASIL, Bahia: Porto Seguro, BR-367, câmpus Sosígenes Costa da UFSB, 22/II/2019, Costa, Santos & Jardim 2965 (GCPP); BR-367, Km 23, próximo à Agrovila, 1/IV/2019, Costa & Costa 3400 (GCPP, K, SP). Eunápolis, estrada para a Faz. Boa Vida, Km 3, 14°25′ S; 39°01' W, V/2019, Silva et al. 234 (CEPEC, K); loc. cit.,  23/VI/2019, Antunes 12 (HUEFS).

O corpo editorial pode efetuar correções gramaticais e de formatação no manuscrito, a fim de ajustá-lo ao padrão editorial e linguístico da revista. No entanto, os(as) autores(as) são responsáveis pela qualidade técnica e textual do manuscrito. Entendendo que o trabalho editorial é executado por uma equipe comprometida, de forma completamente voluntária e , portanto, com tempo limitado, espera-se a gentileza de que os(as) autores(as) procedam à revisão cuidadosa dos originais antes da submissão à revista.

Quando o manuscrito estiver escrito em língua inglesa ou espanhola, para garantir a qualidade gramatical do texto, a revista poderá requerer que o mesmo seja revisado por serviço especializado do idioma em questão, às expensas dos(as) autores(as).

As provas finais dos trabalhos são enviadas aos(às) autores(as) para conferência. Nesta fase, apenas erros tipográficos e ortográficos podem ser corrigidos.

(4) Os Agradecimentos, quando houver, devem ser objetivos e mencionar primeiramente pessoas e, em seguida, instituições e similares.

(5) Todos os trabalhos mencionados ao longo do texto, inclusive em figuras e tabelas, devem ser listados em ordem alfabética nas Referências, em página independente após os Agradecimentos. Quando houver mais de uma publicação do(a) mesmo(a) autor(a), deve-se adotar a ordem cronológica, dando prioridade aos trabalhos com autoria única, seguidos por aqueles com 2 autoras(es) e assim sucessivamente. Nomes de periódicos devem ser grafados por extenso, sem abreviações.

 As citações ao longo do texto e na lista de referências seguem o estilo Vancouver, com citações autor-data. No texto, devem constar como Ruzin (1999) ou Shivanna e Rangaswamy (1992). Se entre parêntesis, citar como (Ruzin, 1999) ou (Shivanna; Rangaswamy, 1992). Para referências com mais de 2 autores(as), sempre mencionar o sobrenome do(a) primeiro(a) autor(a) seguido pela expressão “et al.” (sem itálico), como em Silva et al. (2016) ou (Silva et al., 2016).

Em caso de citações diretas, usar vírgula após o ano e indicar a página correspondente, como em “... small desiccators or sealed containers are suitable” (Shivanna; Rangaswamy, 1992, p.92)”. 

Na lista de Referências, deve-se adotar o estilo Vancouver, contudo, sempre mantendo o nome de periódicos por extenso e citando todas(os) as(os) autoras(es) dos trabalhos, ainda que superiores a 6. Deve-se atentar especialmente à pontuação adotada pelo estilo da revista, conforme os seguintes exemplos:

ARTIGOS

Espírito-Santo FS, Santos APB, Rapini A. Three new species of Marsdenia (Apocynaceae) from Brazil. Acta Botanica Brasilica 2018;32(2):247-253.
Ferreira FL, Dall’Antonia CB, Shiga EA, Alvim LJ, Pessoni RAB. Sugarcane bagasse as a source of carbon for enzyme production by filamentous fungi. Hoehnea 2018;45(1):134-142.

LIVROS

Juniper BE, Jeffree CE. Plant surfaces. London: Edward Arnold; 1983.
Stearn WT. Botanical latin. Portland: Timber Press; 2004.

CAPÍTULOS DE LIVRO

Mori SA.  Tips for tropical biologists. In: Mori SA, Berkov A, Gracie CA, Hecklau EF. Tropical plant collecting. Florianópolis: TECC; 2011. p. 77-130.
Schopf JM. Precambrian microfossils. In: Tschudy RH, Scott RA. Aspects of palynology. New York: Wiley-Interscience; 1969. p. 145-61.

DISSERTAÇÕES E TESES

Araújo MGP. Morfo-anatomia e desenvolvimento dos frutos e sementes de três espécies da subfamília Arecoideae (Arecaceae). Tese [Doutorado em Botânica] – Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia; 2005.
Jesus MC. Origem botânica dos méis claros produzidos no estado do Piauí, Brasil: um estudo polínico. Dissertação [Mestrado em Botânica] – Universidade Estadual de Feira de Santana; 2014.

WEBSITES

Jardim Botânico do Rio de Janeiro [Internet]. Flora do Brasil 2020 em construção. [acesso em 17 abr 2018]. Disponível em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/
Brasil. Lei n.º 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. [Internet]. Diário Oficial [da] União. 2 set 1981 [acesso em 20 jul 2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6938.htm

 

(6) As Tabelas, (7) Legendas das Figuras e (8) Figuras ou gráficos deverão ser inseridos no final do manuscrito, nesta ordem, depois das Referências. Dispor cada tabela ou figura em página independente. O autor deverá sinalizar o local para inserção destes elementos no texto, como “Inserir figura 1” ou “Inserir tabela 2”. Quando necessário, mencionar a fonte (Fonte:) junto à legenda.

Todas as tabelas e figuras devem ser mencionadas no texto de forma indireta, entre parêntesis (Tabela 1, Figura 1), evitando-se construções como “A Tabela 1 mostra…” ou “... como visto na Figura 1”. Não se deve usar contrações ou abreviaturas como tabs, fig. etc.

Para manter a qualidade visual, gráficos, tabelas e figuras também devem ser enviados via sistema, como arquivo suplementar, em um único arquivo compactado (.zip), em seu formato original. Nomear cada arquivo como "Fig", "Graf" ou "Tab" e o número correspondente (exemplos: Fig1.tiff, Graf1.xls). Os formatos de extensão aceitáveis pela revista para figuras são .TIFF, .JPG e .PNG. Caso o programa originário de gráficos e tabelas permita o uso de abas, estas podem podem ser utilizadas. As figuras deverão ter uma resolução mínima de 300 dpi. O sistema aceita arquivos com até 5 MB.

    • Figuras: devem ser inseridas no manuscrito em ordem numérica consecutiva. As partes da figura devem ser indicadas por letras minúsculas (a, b, c etc.). Se existir um apêndice e este contiver uma ou mais figuras, continuar a numeração consecutiva do texto principal. Deve-se evitar palavras dentro das figuras; recomenda-se utilizar símbolos ou abreviações, que devem serem explicados na legenda. Não deve ser usada linha de contorno na imagem. Caso haja pranchas contendo diversas figuras, os números identificadores das mesmas devem ser postos na extremidade inferior esquerda de cada figura. Inclua escalas nas fotomicrografias sempre que possível, no canto inferior direito. Evitar o uso de rodapés nas figuras. Exemplo de figura no texto:
    • Gráficos: devem ser inseridos no manuscrito como Figuras. Devem ser sempre citados no texto em ordem numérica consecutiva. As partes do gráfico devem ser indicadas por letras minúsculas (a, b, c etc.). Se existir um apêndice e este contiver um ou mais gráficos, continue a numeração consecutiva do texto principal. Sugere-se utilizar tons de cinza (preto e branco) para construir os gráficos e adotar linhas com pelo menos 0,1 mm (0,3 pt) de largura. Evite efeitos como sombreamento, fundo com cor, letras de contorno etc., bem como uso de rodapés. Evitar letras e palavras internas, preferindo-se símbolos, os quais devem ser explicados na legenda.
    • Tabelas: não podem ser adicionadas no texto em forma de figura. As legendas das tabelas deverão aparecer na parte superior das mesmas e antecedidos da palavra tabela e respectivo número de ordem. Evitar o uso de rodapés. Abreviações devem ser explicadas na legenda. Exemplo de tabela:

Aspectos éticos

A revista Paubrasilia não admite qualquer má conduta científica nos trabalhos a ela submetidos. Casos de plágio, fabricação ou falsificação de dados, bem como quaisquer outros meios fraudulentos levarão sumariamente à rejeição dos originais submetidos para apreciação.

O corpo de revisores(as) da revista também está pautado em princípios éticos adotados pela comunidade científica internacional, não admitindo práticas que configurem conduta antiética, devendo, por exemplo, mencionar a existência de eventual conflito de interesses no processo de revisão.

 

 

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.